Conheça os principais modelos de cobrança de plataformas de e-commerce e decida entre as diversas opções, qual deles se adapta melhor ao seu projeto de loja virtual.
Conheça os principais modelos de cobrança de plataformas de e-commerce e decida entre as diversas opções, qual deles se adapta melhor ao seu projeto de loja virtual.

Modelos de cobrança de plataformas de e-commerce

Os modelos de cobrança de plataformas de e-commerce por vezes deixam os novos empresários do setor confusos em relação ao sistema a ser escolhido para criação da sua loja virtual.

Atualmente, em função da grande variedade de plataformas de e-commerce disponíveis no mercado brasileiro, surgem, em função da evolução normal do mercado, diferentes tipos de formas de cobrança pelo uso destas plataformas.

Os modelos de cobrança mais comuns vão desde a mensalidade cobrada por quantidade de produtos cadastrados na loja, páginas visualizadas e porcentual sobre as vendas, algumas com valores iniciais de Setup, ou até mesmo com opções gratuitas de entrada.

A seguir, explicaremos a diferença entre as principais formas de cobranças de plataformas de e-commerce.

Planos gratuitos

Uma grande parte das plataformas de entrada do mercado de e-commerce oferecem opções iniciais gratuitas de implementação de uma loja virtual.

Pode parecer o ideal, mas o problema é que, muitos acessos e funcionalidades importantes ficam limitadas. Como recursos de vendas, formas de pagamento, ferramentas administrativas, limites de acessos (pageviews) e quantidade de produtos a serem cadastrados.

Uma estratégia básica das plataformas de e-commerce é trazer os lojistas para testar o sistema, antes da decisão de investir ou não. Indico apenas para pequenos lojistas iniciantes que desejam estruturar a sua loja virtual antes de iniciar a divulgação e começar a gerar as primeiras vendas.

   Leia mais sobre essa assunto no artigo Lojas Virtuais Grátis

Cobrança por quantidade de produtos cadastrados

Conheça os principais modelos de cobrança de plataformas de e-commerce e decida entre as diversas opções, qual deles se adapta melhor ao seu projeto de loja virtual.
Modelos de cobrança de plataformas de e-commerce

Essa é uma das formas de cobranças mais comuns das plataformas de e-commerce. O lojista paga uma mensalidade à plataforma de acordo com a quantidade de produtos cadastrados.

Entende-se que, quanto mais produtos o lojista cadastrar em sua loja, maiores serão os custos da plataforma com relação à hospedagem e consumo de banda, e portanto mais ele irá precisar investir para manter estes produtos ativos. É uma forma justa e natural, pois a cobrança cresce proporcionalmente ao crescimento da loja.

Esse processo é bem semelhante a um espaço de uma loja física, onde naturalmente, quanto maior a necessidade de colocar mais produtos em exposição, maior a necessidade de mais espaço e de investir em custo de infraestrutura. É uma forma de cobrança muito usada pelos fornecedores de plataformas de e-commerce.

Cobrança por quantidade de páginas visualizadas – Pageviews

Esta também é uma outra forma de cobrança bastante comum. O lojista, então, pagará de acordo com a quantidade de acessos mensais em sua loja virtual.

Nesta modalidade é preciso avaliar o risco. Caso exista grandes quantidades de acessos que não sejam efetivamente segmentados de acordo com o público-alvo da loja, ou mesmo “tráfego-robô”, o lojista mesmo assim terá que arcar com os custos, pois assim como no caso anterior, gera custos para a plataforma.

É importante que o lojista fique sempre de olho na origem do tráfego da sua loja, e tenha certeza que as suas campanhas de marketing estejam bem segmentadas, pois quantidade de acesso não significa necessariamente volume de vendas, é importante ter noção da qualidade destes acessos.

Cobrança por quantidade de produtos e Pageviews

Há também opções de plataformas que realizam os dois tipos de cobrança. Inicialmente estas plataformas limitam as primeiras opções de planos por quantidade de produtos, e conforme os acessos forem subindo, torna-se essa opção ilimitada e passa-se a cobrar pela quantidade de acessos.

Entende-se que a quantidade de acessos na loja virtual é o que mais consome custos para a plataforma, seja o lojista contendo 50 produtos, ou 1000 produtos cadastrados em seu e-commerce. Quanto mais acessos existir na loja, maiores serão os custos para a plataforma.

Cobrança por funcionalidades e Pageviews

Outro modelo bastante comum de cobrança de plataformas de e-commerce é o de cobrança pela quantidade de páginas visualizadas e também pelas funcionalidades disponibilizadas na plataforma.

Por exemplo, ao contratar o plano “x” de uma plataforma, o lojista terá como direito uma quantidade limite de pageviews mensais, juntamente com determinadas funcionalidades disponíveis, somente naquele plano.

Quanto maior o valor, maior a quantidade de pageviews e funcionalidades disponíveis. Um ponto, é que se determinada funcionalidade existente em apenas uma opção mais cara for extremamente importante para um lojista, ele precisará contratar aquele plano/plataforma para utilizar a ferramenta.

É uma opção justa para a plataforma, pois também gera custos adicionais.

Cobrança por porcentagem de vendas

Este é um dos modelos de cobrança de plataformas de e-commerce oferecido por sistemas mais robustos. Segundo estas plataformas, cobrando o valor do lojista pela porcentagem nas vendas efetuadas, o crescimento da plataforma torna-se proporcional ao negócio do lojista. O lojista paga somente quando tiver resultados reais.

Essa opção de cobrança obriga essas plataformas a investirem cada vez mais em funcionalidades, já que o lucro da plataforma só crescerá se o lojista vender mais, independente da quantidade de acessos, portanto, não só melhoria diária em infraestrutura é necessário, mas também o atendimento e consultoria para este lojista vender da melhor maneira possível.

O ponto positivo para o lojista é que ele sempre terá disponível em sua loja virtual os melhores recursos do mercado, mesmo com as vendas iniciais ainda baixas.

E então, qual modelo de cobrança das plataformas você considera mais justo, ou mesmo, o mais ideal para a fase do seu negócio?

As opções são diversas. Pesquise bastante, veja quais opções de plataformas lhe atende melhor e quais são todos os recursos nela disponíveis. Nunca esquecendo de já selecionar uma plataforma pensando em um possível crescimento a médio prazo.

Agora que você já conhece os principais modelos de cobrança de plataformas de e-commerce, acreditamos que a sua escolha venha a ser mais fácil. Mantenha-se atualizado sobre esse e outros assuntos referentes ao criação e gestão de lojas virtuais, assinando nosso Boletim Informativo.

Por Kleber Liberato, diretor de Negócios da Chiclé Digital

GD Star Rating
loading...
Modelos de cobrança de plataformas de e-commerce, 10.0 out of 10 based on 3 ratings

DEIXE UMA RESPOSTA