InícioPlanejamento de E-commerceSucesso no e-commerce exige foco e marketing

Sucesso no e-commerce exige foco e marketing

O sucesso no e-commerce exige foco e marketing online

O sucesso no e-commerce exige foco e marketing onlineO e-commerce no Brasil movimentou R$ 16 bilhões apenas no primeiro semestre de 2014, uma alta de 26% em relação ao mesmo período do ano passado.

Os números, divulgados pela empresa E-bit, mostram que investir no setor pode ser um ótimo negócio.

No entanto, para evitar fracassos, é preciso que o empreendedor planeje muito bem todos os detalhes da sua empresa, desde a escolha do foco do negócio até a plataforma que será utilizada.

Enquanto nos Estados Unidos e na Inglaterra o e-commerce já é usado por 90% da população, no Brasil ele ainda fica restrito a 25% dos consumidores, o que significa que ainda há muito potencial para expansão, afirma Marcio Eugênio, especialista em e-commerce e sócio fundador da Loja D Virtual, que desenvolve ambientes de comércio eletrônico para micro e pequenas empresas.

“Estas tendências às vezes demoram alguns anos para se concretizar por aqui, mas é fato que o Brasil tem um grande potencial de expansão, e o mercado vem crescendo consistentemente desde 2009, com taxas superiores a 20%. É, sim, um ótimo investimento”, explica Eugênio.

Ele alerta, no entanto, que muitas pessoas estão entrando desavisadas neste meio, e correm um grande risco de fracassar. Para Marcio, um dos principais erros cometidos pelos novos empreendedores do setor é a falta de foco.

“Não dá para atender a todos, é preciso inicialmente escolher um nicho bem específico. Ao invés de vender todo tipo de artigo esportivo, é melhor focar apenas em tênis para corrida de aventura, por exemplo”, afirma o especialista.

Com isso, acrescenta Eugênio, o empresário passa a oferecer produtos especializados que não existem nas grandes redes de e-commerce, dá um atendimento diferenciado e ainda terá condições de manter um bom estoque, pois a quantidade de modelos será bem menor.

Outro problema apontado pelo especialista é levar a mentalidade do comércio físico para o meio online, e investir mais em estoque do que em publicidade. “Na internet isso não funciona, ninguém vai comprar se não souber que sua loja existe.

É preciso investir em ferramentas de marketing digital e segmentar os anúncios para o seu público. Isso pode ser feito por meio de anúncios vinculados a buscas do Google ou propagandas no Facebook de acordo com os hábitos e interesses específicos”, diz Eugênio.

Os detalhes são fundamentais

O empreendedor também precisa ser criterioso na escolha de outros componentes fundamentais do seu negócio online, como a plataforma, as formas de pagamento, os canais de comunicação com o cliente e a modalidade de entrega. Para Eugênio, a melhor plataforma é aquela que atende às necessidades do seu cliente.

“Por isso, antes de escolher uma, você precisa ter muito bem definido qual é o seu público e, com base nisso, buscar aquelas que oferecem os recursos apropriados. Se você for vender para jovens, por exemplo, é fundamental encontrar uma que interaja com redes sociais”, esclarece o especialista.

Já em relação às formas de pagamento, ele defende que, quanto mais opções oferecidas ao consumidor, melhor. No entanto, como cerca de 80% das vendas online são feitas por meio de cartão de crédito, contar com pelo menos uma bandeira é essencial para o negócio.

“Outra opção é investir em facilitadores como PagSeguro, mas de forma complementar. Apesar de versáteis, eles cobram taxas maiores do vendedor e desestimulam muitos consumidores, por exigirem realização de um novo cadastro. Algumas pessoas acabam abandonando no meio do caminho”, pondera Eugênio.

O contato off line faz a diferença

O especialista também recomenda que a empresa mantenha ao menos um telefone para atendimento ao consumidor, pois muitas pessoas ligam apenas para saber há uma pessoa do outro lado e comprovar que o negócio existe mesmo. Um chat para tirar dúvidas em tempo real também é uma ferramenta importante para dar credibilidade.

Finalmente, Eugênio lembra que é preciso ter uma boa estratégia de logística. Segundo ele, cerca de 85% das entregas são feitas pelos Correios, mas a estatal impõe algumas restrições em relação a tamanho e peso do produto, e às vezes pode ser necessário buscar uma outra empresa.

“Neste caso, uma boa dica é buscar referências com outras empresas que usam o serviço na sua região. Algumas entregadoras têm boa reputação, mas podem não atender bem determinadas localidades. E se ela falhar com o seu cliente, o dano recairá sobre a imagem da sua empresa”, finaliza.

Fonte: Portal Terra

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Planejamento de E-commerce

Modelos de E-commerce - Conheça as diversas denominações Quando falamos em modelos de e-commerce estamos no referindo às diversas configurações possíveis em uma atividade de venda pela Internet. Uma atividade comercial pela internet pode pode ser estruturada com base em diversos...

Mais Lidas Nesta Seção

Últimas Publicações

Buscar no Site